PROJETO CULTURA DE PAZ NAS BIBLIOTECAS

on .

Representantes do Grupo de Amigos da Biblioteca- GRABI e do Movimento de Cultura de Paz de Guaxupé - GUAXUPAZ participaram do 8° Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, realizado de 9 a 11 deste mês, em São Paulo. O eixo temático central foi o novo conceito de biblioteca pública – “Biblioteca Viva” e não, simplesmente, depósito de livros.

No decorrer de todo o evento foram apresentadas experiências criativas e resultados de “bibliotecas vivas”.

Das 141 experiências inscritas para apresentação no seminário, três foram do Estado de Minas, sendo que duas são de Guaxupé. 

O projeto “ Cultura de Paz nas Bibliotecas” , desenvolvido por Sílvia Costa, coordenadora do Guaxupaz, foi apresentado em pôster digital, apresentando o roteiro de implantação que poderá ser utilizado por outros espaços de leitura que se interessarem. O stand de Cultura de Paz, montado na Biblioteca Municipal Profª Iracema Elias, em Guaxupé, foi o ponto de partida deste trabalho.

 Abaixo apresentamos o projeto na íntegra:

 

PROJETO CULTURA DE PAZ NAS BIBLIOTECAS

 

 

Proponente:                 

Sílvia Costa - ( O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. )

 

Introdução

Ao iniciar o movimento GUAXUPAZ, uma das primeiras ações foi a montagem de stand com obras de Cultura de Paz, na Biblioteca Municipal de Guaxupé. O movimento é norteado pelo programa de Cultura de Paz da UNESCO e está integrado a outras organizações pioneiras no país. 

 Pretende-se com este projeto inicial, não só sensibilizar, como também apresentar subsídios/ roteiros facilitadores para montagem de stands similares em outras bibliotecas e espaços de leitura. 

A leitura é ferramenta imprescindível para a Cultura de Paz, desde a infância até à Universidade .

 Não se pode conceber uma cultura e educação humanística sem investir na Cultura de Paz. Ante a violência crescente (de todos os tipos) no mundo real e virtual, na sociedade, nas famílias, nas escolas, nos noticiários de mídia, nas novelas que milhões de pessoas assistem diariamente – a Cultura de Paz não é uma opção, mas uma  urgência, uma prioridade. 

Que as bibliotecas façam a sua parte!

Disponibilizamo-nos a juntar lideranças e estar juntos nesta arrancada.

Há muita coisa nesta presente apresentação para ser

melhorada,  acrescentada, corrigida

com a colaboração de pessoas interessadas.

 

Sequência de links para serem acessados:

 

I - Objetivos 

II - Abrangência 

III - Público alvo 

IV - Desenvolvimento da ação

 

1 - Formação do Acervo de Cultura de Paz: 

2 - Relação parcial de obras sobre Cultura de Paz:

 

Obras e artigos com fundamentação científica

Mediação de Conflitos 

Sustentabilidade 

Obras e artigos com fundamentação científica 

Infantis 

Gibis Pedagógicos 

Cartilhas 

Jogos Cooperativos

 

3 - Saiba mais sobre algumas obras  

4 - Obras para download 

5 - Aquisição das obras 

6 - Montagem do stand 

 

V - Preparação de facilitadores

 

1 - Opções para a preparação de facilitadores 

2 - Manuais e obras didáticas para preparação de profissionais facilitadores 

3 - Sites especializados de Cultura de Paz 

4 - Metodologias específicas 

 

VI - Atividades diversificadas para biblioteca/escolas/entidades:

 

VIII - Experiências de expansão fora da biblioteca

Objetivos, Abrangência e Público Alvo

on .

I- Objetivos: 

         - Sensibilizar para a necessidade de implantação da Cultura de Paz nas bibliotecas.

         - Facilitar o processo de implantação com orientação sobre:

                     - formação de acervo

                     - preparação de mediadores de leitura

                     - preparação de educadores para a paz

                     - contatos de organizações específicas  

II – Abrangência:

    Projeto disponível para bibliotecas interessadas

III- Público alvo:

        Profissionais de bibliotecas, agentes culturais, educadores  

 

 

 

IV - Desenvolvimento da ação:

on .

 

Uma vez constatada a real intenção de se montar um stand de Cultura de Paz em determinada biblioteca ou organização, partindo de uma ou mais pessoas comprometidas com esta realização, inicia-se o estudo das providências necessárias,  distribuídas gradualmente, de acordo com as prioridades, disponibilidade de recursos humanos e financeiros. 

 

Pode-se iniciar um projeto simples, econômico: uma estante (de preferência com as capas dos livros à vista), algumas obras básicas, reuniões de sensibilização com educadores, com a utilização de materiais que serão indicados adiante.

 

 

1 - Formação do Acervo de Cultura de Paz

on .

 

O acervo de Cultura de Paz é composto desde obras infantis, até obras científicas, de cunho teórico e de aplicação prática.  Há muitas obras, cartilhas, vídeos disponíveis para download que possibilitam o acesso, a socialização e a realização de atividades diversificadas nas bibliotecas, escolas e outros ambientes. 

Os oito eixos temáticos propostos pela ONU demonstram a ampla abrangência  da Cultura de Paz: 

    - Cultura de Paz através da Educação;

    - Economia Sustentável e Desenvolvimento Social;

    - Compromisso com os Direitos Humanos;

    - Equidade entre os gêneros;

    - Participação democrática;

    - Compreensão – Tolerância - Solidariedade;

    - Comunicação Participativa e Livre Fluxo de Informações / Conhecimento;

    - Paz e Segurança Internacional. 

 

2 - Relação parcial de obras sobre Cultura de Paz: 

 

Há outras obras que não colocamos nesta relação, por se tratar de início do trabalho e, por outro lado, deve haver  muitas obras que ainda  desconhecemos.

Abaixo listaremos obras de diversas tendências que tenham relação com a temática de “Paz”, no seu sentido amplo. 

 

Cultura de Paz - Cristina Von; Editora Peirópolis.

A Paz Como Caminho - Dulce Magalhães ; Qualymark. 

Aprender a educar para a paz - Marcelo R. Guimarães: Editora Rede da Paz 

A paz também se aprende - Naomi Drew ; Editora Gaia. 

Uma arte de viver e conviver - Escola de Perdão e Reconciliação - CDHEP – Centro   Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo (  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.   Tel 11- 5511 9762 

Cidadãos do presente: crianças e jovens na luta pela paz - M.R.Guimarães:Saraiva. 

Vamos Ubuntar - Um convite para cultivar a paz. Lia Diskin; UNESCO,VALE, Palas     Athena . ( disponível para download no site www.palasathena.org.br( materiais pedagógicos). 

O Tao da Paz. Diane Dreher; Editora Campus 

A paz começa com você. Ken O`Donnel. Editora Gente.

 - A arte de viver em paz. Pierre Weil; Editora Gente. 

Processos Circulares.Kay Pranis: Editora Palas Athena 

Os construtores da Paz. M. Tereza Maldonado: Editora Moderna. 

- Ética,valores humanos e transformação.Lia Disken et al.: Peirópolis 

- Educar para a paz em tempos difíceis. Xésus Jares; Palas Athena.

- Educar para a paz em tempos de guerra. ???????:? 

- A Paz é o Caminho. Deepak Chopra: Editora Rocco 

- Primeiro Passo Para a Paz . Masanobu Taniguchi ; Seicho-no-ie do Brasil. 

Comunicação Não-Violenta. Marshall B. Rosenberg: Editora Ágora. 

Cultura da Paz – educação do novo tempo . Marcelo Pelizzoli.

 Não-violência na Educação . Ed. Palas Athena. 

-Previna o Bullying- jogos para uma Cultura de Paz. Simão de Miranda e Miriam     

  Dusi:  Papirus. 

- UNESCO: Escola de Paz; Escola e Violência; Violência nas escolas e políticas  públicas; Desafios e alternativas:violência nas escolas 

 

Obras e artigos com fundamentação científica:

 

Educação Para A Paz – sentidos e dilemas. Marcelo Rezende Guimarães- EDUCS

    O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.   ( obra fruto de pesquisa de doutorado)- Visão abrangente, analítica  e aprofundada dos movimentos de Cultura de Paz . 

- Cultura de Pedagogia da Convivência: Ação e Políticas Públicas- Cenários e horizontes da ação global e local. Hamilton Faria : Polis (disponível para downloa  www.polis.org.br/uploads/537/537.pdf ) 

- A construção da Cultura de Paz Através de Práticas Restaurativas nas Escolas de Porto Alegre: Desafios e Perspectivas .

Pesquisa Científica de Patrícia Krieger Grossi, Beatriz Gerhenson Aguinsky, Andréia Mendes dos Santos . Disponível para download : http://www.pitangui.uepg.br/nep/biblioteca/Paz.restaurativa.pdf 

Educação Para A Paz – sentidos e dilemas. Marcelo Rezende Guimarães- EDUCS

    O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.   ( obra fruto de pesquisa de doutorado)- Visão abrangente, analítica  e aprofundada dos movimentos de Cultura de Paz . 

 

 Mediação de Conflitos:

 

Mediação de Conflitos- pacificando e prevenindo a violência - Malvina Muzskat org:

   Summus Editora. 

Guia prático de mediação de conflitos em famílias e organizações - Malvina Ester  

   Muszkat; Summus Editorial. 

Disciplina Restaurativa para Escolas - Lorraine Stuzman Amstutz: Palas Athena. 

Transformação de Conflitos - John Paul Lederach: Editora Palas Athena. 

Trocando as lentes- um novo foco sobre o crime e a Justiça Restaurativa - Howard Zehr: Editora Palas Athena.

O Projeto Justiça 21 – Instituindo Práticas Restaurativas dispõe de um Kit de materiais didáticos e operacionais desenvolvidos com o objetivo de “ promover as práticas da Justiça Restaurativa como estratégia de pacificação de violências envolvendo crianças e adolescentes.”

Informações para adquirir o kit e outros atendimentos poderão ser obtidas pelo site: www.justica21.org.br e e-mail  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  

 

Sustentabilidade 

- Gestão para Sustentabilidade - desenvolver, educar e viver em um mundo de transição. Rodrigo Costa da Rocha Loures: Editora Gente.

- Pedagogia da Terra. Moacir Gadotti: Editora Peirópolis.

- 40 Contribuições Pessoais para a Sustentabilidade. Genebaldo Freire Dias: Editora Gaia

 Consumismo Infantil: na contramão da sustentabilidade ( Ver adiante obras para download)

- Compra Sustentável ( Ver adiante obras para download)

 

Obras e artigos com fundamentação científica: 

 

-Educação para a Paz: Sentidos e Dilemas. Marcelo Rezende Guimarães.

Editora da Universidade de Caxias do Sul 

- Cultura de Pedagogia da Convivência: Ação e Políticas Públicas- Cenários e horizontes da ação global e local. Hamilton Faria : Polis (disponível para downloa  www.polis.org.br/uploads/537/537.pdf ) 

- A construção da Cultura de Paz Através de Práticas Restaurativas nas Escolas de Porto Alegre: Desafios e Perspectivas .

Pesquisa Científica de Patrícia Krieger Grossi, Beatriz Gerhenson Aguinsky, Andréia Mendes dos Santos . Disponível para download : http://www.pitangui.uepg.br/nep/biblioteca/Paz.restaurativa.pdf

 

Balanço da Década Internacional da Promoção da Cultura de Paz

- Cultura de paz: da reflexão à ação. UNESCO, Palas Athena, Pronasci,     

Ministério da Justiça; Brasília :2010.

(Práticas bem sucedidas na implementação da cultura de paz no Brasil.

Sinopses de todos os Fóruns do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz )

 

Infantis:

 

- Tempos de PazK. Sholes e R.Ingpen. Global

Os heróis em: viva a paz.Beatriz Cunha. Evoluir

Uma escola assim, eu quero pra mim. Elias José. FTD

Ninguém é Igual a Ninguém . Regina Otero e Regina Rennó; Editora do Brasil

Apelido não tem cola. - Regina Otero e Regina Rennó; Editora do Brasil.                                                                           

Um mundinho de paz - Ingrid Bellinghasen: Ed DCL Difusão Cultural

 

Gibis Pedagógicos:  

- Uma turminha pela Paz em Caminhada pela Paz - Luis Cláudio Galhardi/ Naudemar Nascimento; Londrina Pazeando.

- Uma turminha pela Paz – Desarmamento: uma mudança de mentalidade -  Luis Cláudio Galhardi/Elvis Vinicius; Londrina Pazeando.

Uma história de "outro" Mundo. - Pazear é possível ! - Luis Claudio Galhardi/Marcelo Kioyassu Nakasse/Lucas Shimada Rodrigues: Londrina Pazeando.

-  A importância do diálogo na Construção da Paz - Justiça Restaurativa - Luis Claudio Galhardi / Lucas Shimada Rodrigues/Marcelo Kioyassu Nakasse; Londrina Pazeando

 

Cartilhas

Paz como se faz  - Lia Diskin/Laura Roizman .

Cultura de paz: Redes de Convivência

 Consumismo Infantil: na contramão da sustentabilidade

 

Jogos Cooperativos: 

A Editora Projeto Cooperação dispõe de obras especializadas sobre Jogos Cooperativos. Ver relação:

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/educacao-para-paz?start=25 

 

3 - Saiba mais sobre algumas obras:

  

Educação para a Paz: Sentidos e Dilemas. Marcelo Rezende Guimarães.

Editora da Universidade de Caxias do Sul

"Educação para a paz - sentidos e dilemas"é o mais completo trabalho sobre o tema já escrito no Brasil. Resultado de uma investigação cuidadosa e do relato da experiência vivida junto aos movimentos e as organizações que lutam em favor da paz mundial, este livro combina de maneira exemplar vida, engajamento e reflexão. Uma das grandes contribuições está justamente em mostrar como podemos pensar e viver a paz instaurando uma cultura de paz num mundo marcado pela indiferença e pela banalização da violência.

Marcelo Rezende Guimarães, doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul,  coordenou a ONG Educadores para a paz e foi co-coordenador do Núcleo de Estudos de Paz da PUCRS, Membro do Conselho Editorial do "Journal of Peace Education". É autor dos livros "Cidadãos do presente: crianças e jovens na luta pela paz" e "Um novo mundo é possível", além de ter escrito inúmeros artigos sobre a temática de educação para a paz.
O livro pode ser adquirido pelo telefone: (54) 3218-2197 ou pelo e-mail  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

A Paz Também se Aprende.  Naomi Drew; Editora Gaia

. "A Paz Também se Aprende", de Naomi Drew, consegue provar exatamente isso: que a paz pode ser aprendida. E o conceito fundamental que este livro desenvolve é o de que a paz mundial começa com cada um de nós.
Seguindo os passos concretos indicados neste livro, poderemos afastar as guerras de nossas vidas e viver definitivamente em paz. O plano  da obra estimula e facilita a busca de novas soluções para os problemas que afligem a todos, e, cientes de que a paz começa no indivíduo, devemos assumir um compromisso com a não violência .

A obra contém um programa de educação para a paz,  com técnicas e exercícios pedagógicos que orientam e facilitam o trabalho de  pais, professores e orientadores em geral. É resultado de estudo e experiência docente da autora, cuja meta é discutir estratégias e atividades  voltadas para a formação de pessoas pacíficas e comprometidas com a construção de um mundo pacífico.

 

A Paz Como Caminho - Dulce Magalhães ; Qualymark.

 

 Qual o paradigma que regula nossa visão de mundo? Será o mundo fruto do que pensamos? Se mudarmos nossa forma de pensar e ver a realidade, esta também se modificará? A experiência compartilhada deste livro responde a estas e outras questões intrigantes.
Mudar de mundo é mudar de olhar. Aqui oferecemos um convite e um espaço para a mudança do mundo que cada um habita, esse universo interior de sensações e sentimentos que modelam toda a realidade ao redor. A partir desta transformação, todas as outras serão viáveis e acessíveis.

  

4 - Obras para download: 

Há muitas obras para download que podem ser impressas e disponibilizadas no stand.

Pode-se também imprimir cópias da relação de obras de Cultura  de Paz, com os respectivos links, e deixar no stand para quem quiser levar para casa.

 

Paz, como se faz ?- Lia Diskin e Laura Gorresio Roizman

Essa cartilha, escrita por Lia Diskin e Laura Gorresio Roizman, tem como principal objetivo o desenvolvimento da criatividade, do diálogo e da aceitação do outro como estratégia educativa para a construção de uma Cultura de Paz. Para transformar os valores da Cultura de Paz em realidade na vida cotidiana, as autoras apostam na educação para criar e incentivar processos inclusivos na juventude.

A cartilha apresenta textos teóricos baseados nos quatro pilares da Educação do futuro - aprender a conhecer, a fazer, a viver junto e a ser - e nos seis princípios do Manifesto 2000 da UNESCO - respeitar a vida, ser generoso, ouvir para compreender, redescobrir a solidariedade, rejeitar a violência e preservar o planeta.

Sugere também muitas atividades voltadas principalmente para o público jovem,como jogos, dinâmicas de grupo, espaço de leituras, artes manuais, discussão sobre os meios de comunicação e outros. Download:

http://www.palasathena.org.br/cont_pedagogico_detalhe.php?pedagogico_id=6

  

- Vamos Ubuntar ? Um convite para cultivar a paz- Lia Diskin

A obra Vamos Ubuntar, da autora Lia Diskin, foi publicada pela UNESCO, Fundação Vale e Fundação Palas Athena.

Ubuntupalavra africana, significa "sou quem sou por aquilo que todos somos". Ela exprime o reconhecimento de um vinculo universal que conecta toda a humanidade.

Além dos conceitos teóricos, a obra traz sugestões para reflexão e diálogo em grupo, exemplos de ações exitosas e fontes de pesquisa.

Temas como inclusão social e educação para o século XXI, a paz na voz das culturas, a paz como cultura, novas tecnologias de convivência são apresentados entre outros.

Esta obra faz parte da coleção Abrindo Espaços: educação e cultura para a paz

Disponível na íntegra e para download:

http://unesdoc.unesco.org/images/0017/001785/178540por.pdf

 

Cultura de Paz – redes de convivência- Lia Diskin

Aspectos conceituais e 10 ações permanentes desenvolvidas no Brasil com foco nos princípios e valores de uma Cultura de Paz formam o conteúdo da cartilha Cultura de Paz – redes de convivência, escrita pela Profa. Lia Diskin e publicada pelo Senac São Paulo.

Esta publicação é mais um instrumento de formação de lideranças e agentes de desenvolvimento local das comunidades em que o Senac atua, com distribuição gratuita e disponível para download pela internet nos sites da Palas Athena, do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz e do próprio Senac.

 http://www1.sp.senac.br/hotsites/gd4/culturadepaz/

 

- Abrindo Espaços- Educação e Cultura para a Paz. MarlovaJ.Noleto, Mary Garcia Castro,Miriam Abramovay: Editora da UNESCO; Brasília

Edição revisada do livro texto do programa, que inclui referências conceituais e institucionais, como ainda o histórico de sua implementação desde o início, em 2000.

 

Acesse o site da UNESCO para saber mais informações e baixar gratuitamente:

 

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/abrindo_espacos_educacao_e_cultura_para_a_paz_4ed/

 

 
-
Consumismo Infantil: na contramão da sustentabilidade


http://criancaeconsumo.org.br/wp-content/uploads/2014/05/Consumismo-Infantil.pdf

 

 

 

 -  Carta da Terra

http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/cartadaterra.pdf

 

 

 

 

 

-Carta da terra para Crianças

http://www.sunnet.com.br/biblioteca/apresentacoes/CTparacriancasNAIA.pdf 

 

 

 

 

A Cartilha da Inclusão Escolar é um trabalho de muitas mãos, realizado pela Comunidade Aprender Criança e lançada no Congresso Aprender Criança, que ocorreu de 15 a 17 de Agosto de 2014, em Ribeirão Preto.

www.abpp.com.br/sites/default/files/Cartilha%20da%20Inclusao%20Escolar%20para%20sites.pdf

 

 Gibis Pedagógicos:

Disponíveis para download no site www.londrinapazeando.org.br

            

-Uma turminha pela Paz - Caminhada pela Paz- Luis Cláudio Galhardi/ Naudemar Nascimento; Londrina Pazeando.

- Uma turminha pela Paz - Desarmamento: uma mudança de mentalidade - Luis Cláudio Galhardi/Elvis Vinicius; Londrina Pazeando

- Uma história de "outro" Mundo. - Pazear é possível ! - Luis Cláudio Galhardi/ Naudemar Nascimento; Londrina Pazeando.    

-  A importância do diálogo na Construção da Paz - Justiça Restaurativa - Luis Cláudio Galhardi/ Naudemar Nascimento; Londrina Pazeando.

 

-Guia do movimento Imagens e Vozes de esperança- IVE

O movimento "Images and Voices of Hope" ( IVOH) surgiu em Nova Iorque em 1999, a partir da reflexão sobre o impacto social que homens e mulheres de comunicação exercem em nossa sociedade mediante as imagens e palavras que escolhem transmitir no exercício de sua vida profissional.

No Brasil passou a chamar-se Imagens e Vozes de Esperança.- IVE.

No guia do movimento pode-se conhecer os propósitos e princípios que norteiam o IVE, métodos e informações de como se engajar no movimento.

Acesse:
www.cmminterativa.com.br/site/modules.php?name=Conteudo&pid=156

-Compra Sustentável: A força do consumo público e empresarial para uma economia verde e inclusiva

Publicação aborda contribuição das compras públicas e empresariais para a sustentabilidade.

Editado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (GVces/EASP) em parceria com o a associação ICLEI (Local Governments for Sustainability).

O conteúdo, que pode ser acessado no site do GVces, estimula o consumo mais sustentável do governo e do setor privado, incentivando desde a compra de produtos certificados e dentro da legalidade social e ambiental, até a popularização de soluções mais eficientes.

 http://www.akatu.org.br/Temas/Sustentabilidade/Posts/Livro-Compra-Sustentavel-esta-disponivel-para-download

 

Obras com fundamentação científica:

 

- Cultura de Pedagogia da Convivência: Ação e Políticas Públicas- Cenários e horizontes da ação global e local. Hamilton Faria : Polis

  www.polis.org.br/uploads/537/537.pdf 

- A construção da Cultura de Paz Através de Práticas Restaurativas nas Escolas de Porto Alegre: Desafios e Perspectivas

Pesquisa Científica de :Patrícia Krieger Grossi, Beatriz Gerhenson Aguinsky, Andréia Mendes dos Santos.

http://www.pitangui.uepg.br/nep/biblioteca/Paz.restaurativa.pdf 

- Cultura de Paz - Estratégias, Mapas e Bussolas.pdf

http://www.londrinapazeando.org.br/downloads/livropnv/PNV-CulturadePaz-EstrategiasMapaseBussolas.pdf

 

5 - Aquisição das obras 

1 - Primeiramente pode-se fazer uma pesquisa pela internet e em livrarias para tomar um primeiro contato com as obras e verificar o tipo de cada uma. 

É recomendável fazer contato com alguma organização focada em Cultura de Paz para uma troca de idéias e seleção das obras mais adequadas para o início do trabalho, dependendo do tipo de público alvo. 

A coordenação do Guaxupaz se disponibiliza para contato. 

2- Estabelecer contato com editoras e organizações de Cultura de Paz, para solicitar possíveis doações ( livros, cartilhas, folhetos, panfletosinformações a respeito). 

3- Impressão de obras disponíveis para download. 

4- Impressão de listagem de links  de obras para download para distribuir aos interessados. 

5  - Inclusão de obras de Cultura de Paz na relação geral de compras de livros para a biblioteca ( quando existe possibilidade de compra).        

 

6 - Montagem do stand

 

Visibilidade: é aconselhável que o acervo de Cultura de Paz,  para o qual se quer chamar atenção e atrair leitores, seja destacado dos demais livros e tenha visibilidade. 

Inicialmente, poderá ser disposto em uma estante, de preferência  do tipo em que as capas dos exemplares fiquem de frente. 

Com o desenvolvimento do trabalho , havendo mais material a ser exposto, providencia-se outra estante. 

Afixar uma plaqueta de identificação da seção: “Cultura de Paz”. 

Classificação: Quando já houver um número de obras/produtos  que justifique  classificação, poder-se-á fazê-la  de diferentes modos:

 - Por eixos temáticos; 

- infantis; 

- didáticas; 

- acadêmicas; 

- vídeos; 

- pasta de músicas ; 

- organizações de Cultura de Paz; 

- pacificadores; 

- documentos, declarações e similares; 

- outras opções. 

Listagem para  controle e pesquisa:  para facilitar a consulta dos interessados e o controle das obras emprestadas recomenda-se que seja feita uma relação das obras que compõem o acervo. Se houver classificação das obras, a relação ficará  mais funcional.

 

6 - Montagem do stand

Visibilidade: é aconselhável que o acervo de Cultura de Paz, para o qual se quer chamar atenção e atrair leitores, seja destacado dos demais livros e tenha visibilidade.
Inicialmente, poderá ser disposto em uma estante, de preferência do tipo em que as capas dos exemplares fiquem de frente.
Com o desenvolvimento do trabalho , havendo mais material a ser exposto, providencia-se outra estante.
Afixar uma plaqueta de identificação da seção: “Cultura de Paz”.

 

Classificação: Quando já houver um número de obras/produtos que justifique classificação, poder-se-á fazê-la de diferentes modos:

 


- Por eixos temáticos;
- infantis;
- didáticas;
- acadêmicas;
- vídeos;
- pasta de músicas ;
- organizações de Cultura de Paz;
- pacificadores;
- documentos, declarações e similares;
- outras opções.

 


Listagem para controle e pesquisa: para facilitar a consulta dos interessados e o controle das obras emprestadas recomenda-se que seja feita uma relação das obras que compõem o acervo. Se houver classificação das obras, a relação ficará mais funcional.

 

V- Preparação de facilitadores

on .

Todo trabalho de promoção de leitura requer facilitadores, mediadores de leitura, para despertar o interesse das pessoas, principalmente, crianças, adolescentes e jovens.

Para que o acervo de Cultura de Paz seja conhecido e utilizado é preciso que se prepare

os mediadores para esse tipo de leitura. 

Essa preparação poderá ser  feita para:

     -  atendentes da biblioteca

     - contadores de histórias

     - mediadores de leitura

     - educadores

     - outras pessoas interessadas.

 

1-Opções para a preparação de facilitadores

- Oficinas/ minicursos

- estudo compartilhado

-  encontros/ reuniões presenciais

-  estudo dirigido bibliográfico ( individual ou em grupo)

 - estudo/ pesquisa dirigida  on line 

 

2 - Manuais e obras didáticas para preparação de profissionais e facilitadores

 

Há várias obras de reconhecido valor e eficácia para o estudo e aplicação da Cultura de Paz. 

Com planos de trabalho, orientações metodológicas, sugestões de atividades estas obras facilitam a formação de mediadores de leitura e educadores para a paz , possibilitando o desenvolvimento do trabalho que se proponham a realizar. 

Algumas obras recomendadas: 

A Paz Também se Aprende. 
Naomi Grew; Editora Gaia. 

Cultura de Paz .
Cristina Von; Editora Peirópolis. 

Aprender a Educar para a Paz.
Marcelo Rezende Guimarães;Editora Rede da Paz. 

Cidadãos do Presente: crianças e jovens na luta pela paz.
M. R. Guimarães; Saraiva. 

Uma arte de viver e conviver - Escola de Perdão e Reconciliação. 
Joanne Blaney e Petronella Boonen; Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo. 

A Paz Começa com Você. 
Ken O’ Donnel; Editora Gente. 

A paz como Caminho. 

Dulce Magalhães; Qualymark. 

Resolução de Conflitos- Manual de Mediadores e Agentes de Paz. 
Carlos Eduardo A. Brandão; Programa Gente que faz a Paz/Viva Rio. 

Processos Circulares.
Kay Pranis; Palas Athena. 

Os Construtores da Paz: caminhos da prevenção da violência. 
Maria Tereza Maldonado; Moderna.

 

3 - Sites especializados de Cultura de Paz para consulta:

Organizações de grande, médio e pequeno porte alicerçam o movimento de Cultura de Paz, no Brasil. Cada qual com suas prioridades, estilo de trabalho, abrangência e público alvo.

 A somatória da contribuição de cada núcleo resulta num considerável patrimônio de Cultura de Paz, realizações e efetivas transformações.

 Pela relação abaixo, embora bastante incompleta, pode-se obter:

 - Uma visão do desenvolvimento que a Cultura de Paz obteve no Brasil;

 - Conhecimento de conteúdos e estratégias de trabalho diversificadas e inovadoras;

 - Conteúdos, materiais didáticos, documentos, vídeos para download;

 - Canal de contato para interação e fortalecimento da rede de organizações.

Entre neste universo virtual de Cultura de Paz.

Selecione seus favoritos.
Compartilhe com outros interessados.  

Para ter acesso a relação de organizações e seus sites acessar: 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/2012-10-23-17-02-38/84-organizacoes-vinculadas-a-cultura-de-paz 

 

4- Metodologias específicas : 

    Sínteses dessas metodologias podem ser acessadas  no site Guaxupaz ,pelos links correspondentes.    

 - Recriação de histórias pela abordagem pacífica 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/educacao-para-paz/250-recriacao-de-historias-pela-abordagem-pacifica 

 

Leitura apreciativa: 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/midia-de-paz/266-brigida-fries-fala-sobre-midia-construtiva 

 

- Mídia construtiva:  

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/midia-de-paz/266-brigida-fries-fala-sobre-midia-construtiva 

 

-Disciplina restaurativa 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/justica?start=10 

 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/justica/64-fontes-de-informacoes-e-estudo-sobre-justica-restaurativa 

 

 -  Círculos de paz 

      Consultar obra : Processos Circulares. Kay Pranis: Editora Palas Athena 

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/justica/66-justica-restaurativa-e-processo-circular-nas-varas-de-infancia-e-juventude

 

VI - Atividades diversificadas para biblioteca/escolas/entidades:

on .

 (relacionadas à temática de Cultura de Paz)

    - contação de histórias selecionadas

    - rodas de leitura

    - exibição de filmes/ vídeos

    - dramatizações com abordagem pacífica de conflitos

    - análise crítica de músicas/ filmes/ programas de TV

    - apresentação de criações dos participantes:

textos/músicas/vídeos/desenhos/teatro

     

 - jogos cooperativos (     http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/educacao-para-paz?start=25 )

                   

Subsídios para atividades de Cultura de Paz

No menu HOLOTECA, deste site, encontra-se indicação de músicas e filmes
que poderão ser utilizados na Cultura/Educação  para a paz, bem como relação de outras obras para estudo e formação de educadores.

 Sugestão de atividades:

http://www.guaxupaz.com.br/web/index.php/cultura-de-paz-2/educacao-para-paz/191-sugestoes-de-atividades

Algumas obras já relacionadas que trazem sugestões e planos de atividades:

A Paz Também se Aprende. 
Naomi Grew; Editora Gaia.

Cultura de Paz .
Cristina Von; Editora Peirópolis.

Aprender a Educar para a Paz.
Marcelo Rezende Guimarães;Editora Rede da Paz.

Cidadãos do Presente: crianças e jovens na luta pela paz.
M. R. Guimarães; Saraiva.

Uma arte de viver e conviver - Escola de Perdão e Reconciliação. 
Joanne Blaney e Petronella Boonen; Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo.

Processos Circulares.
Kay Pranis; Palas Athena.

 

VII - Experiências de expansão fora da biblioteca

- trabalho em escolas

- divulgação pela imprensa

- parceria com outros eventos da cidade

- atividades propostas/socializadas pela internet/redes sociais 

 

 

 

 

 

 

 

 

GUAXUPAZ É PARCEIRO DO GRUPO DE AMIGOS DA BIBLIOTECA

on .

Um grupo de voluntários, conscientes das necessidades de estímulo à leitura e de desenvolvimento de políticas públicas para este fim, criaram o Grupo de Amigos da Biblioteca (GRABI). Os primeiros passos foram dados em maio do corrente ano, reunindo pessoas comprometidas com a leitura e dispostas a desenvolver propostas e atividades para a dinamização da biblioteca municipal de Guaxupé.

O grupo inicial é formado por pessoas que optaram por enfrentar as carências e problemas relacionados à Biblioteca Municipal Profª Iracema Elias e colaborar na busca de soluções. O GRABI tem caráter sociocultural e educativo, sem vínculos político- partidários ou religiosos. Está aberto à adesão de novos participantes, parcerias e apoios. O grupo fundador lançou a proposta para mobilizar os interessados e iniciar as atividades.

Em 2010, ao ser criado o Movimento de Cultura de Paz de Guaxupé- Guaxupaz, foi montado na biblioteca municipal um pequeno stand com obras variadas sobre Cultura de Paz. Este ano, Guaxupaz participou da criação do Grupo de Amigos da Biblioteca GRABI e passa a atuar em parceria com o novo movimento.

O acervo de Cultura de Paz que já contava com várias obras básicas, cartilhas, gibis e folhetos sobre o tema recebeu novos títulos.

Encontro “ Leitura e Reflexão – desenvolvimento pessoal, espiritualidade e cultura de paz”

Esta será uma atividade do GRABI, incluindo Cultura de Paz, que será realizada periodicamente, na Biblioteca Municipal .

O Primeiro Encontro aconteceu dia 30 de outubro. O psicólogo José Antônio Lofrano coordenou a reflexão pautada para este dia, fundamentada nas obras de Eckhart Tolle.

O próximo encontro será dia 13 de novembro, as 14:30 Hs na biblioteca municipal.

Biblioteca Municipal : rua Pe. João José, 418 - Guaxupé-MG
telefone: 3559 1105

 

III Manifesto pela Educação

on .

I - Já não dá mais para continuar ouvindo/lendo críticas e reclamações da educação, vindas de todos os segmentos da sociedade, desde os especialistas até o grito do povo nas ruas, sem que se faça uma mobilização pra valer, apresentando propostas para uma reestruturação de fato, uma virada de mesa, uma imersão em novo tempo...

O povo acordou e foi para as ruas, mas isso não é suficiente, Os ativistas da Cultura de Paz acreditam na ruptura de padrões injustos e obsoletos, mas de forma pacífica ( não passiva) e inteligente. Não basta gritar pelo que não está bom, pelo inadmissível. É preciso apresentar propostas consistentes e de consenso para efetuar mudanças democráticas. A classe dos educadores deve ser um exemplo para o país de mobilização organizada, pacífica e eficaz.

Por tudo isso, que o Movimento de Cultura de Paz de Guaxupé- Guaxupaz está de mangas arregaçadas, juntando-se ao grande coletivo de educadores, iniciado pelos Românticos Conspiradores ( inspirados pela liderança do Prof. José Pacheco , da escola da Ponte/Portugal) e outros educadores espalhados por este imenso país. Este ousado coletivo, de idealistas de pé no chão, há dois anos está trabalhando na construção deste momento emergencial – quem sabe faz a hora, não espera acontecer ...

O resultado está já circulando pelo país – o III Manifesto pela Educação, o primeiro do século XXI. Ele já chegou ao conhecimento do Ministro da Educação Aloísio Mercadante, para conhecimento prévio.

Uma multidão de educadores e cidadãos se dedicaram à elaboração do documento. Agora é preciso mais uma multidão de pessoas conscientes e dispostas a colher as assinaturas e adesões necessárias para causar o impacto esperado para promover políticas públicas.

Em 1.500 , os portugueses chegaram ao Brasil e começou a nossa história.
Na primeira década do novo século , o educador português José Pacheco aqui chegou, com a mesma garra e coragem dos descobridores e daí, começou a nova história da educação brasileira.
Convidamos você, e a todos a quem você repassar estas mensagens, a serem protagonistas desse novo tempo - o desabrochar da educação humanítica,
a transposição da teoria à prática, a sintonia da educação com o tempo presente.

Nesta edição do Boletim Eletrônico do Movimento de Cultura de Paz – GUAXUPAZ, colocaremos subsídios que ajudarão a entender princípios do manifesto, o trabalho bem sucedido de pioneiros que prova que é possível viabilizar na prática, que uma nova educação é possível . As semente já brotaram , já estão dando frutos.
Agora, é arregaçar as mangas para novas semeaduras...

 

Mobilização pela Educação: II - de onde viemos para onde vamos

on .

Este vídeo foi elaborado a partir das reflexões da Filosofa Viviani Mosé sobre a educação brasileira. Foi elaborado com o objetivo de repensarmos o modelo de escola atual e a necessidade de transformamos a educação no país. Baseia-se no pensamento de diversos educadores e pesquisadores, como: Sérgio Cortella, Moacir Gadotti, Rubem Alves, Paulo Freire, Madalena Freire, Jamil Cury, José Pacheco, Celso Antunes e Maria do Pilar. Apresenta como inspiração uma escola democrática e com uma gestão compartilhada: a "Escola da Ponte de Portugal." Um modelo de escola para o século XXI.


http://www.youtube.com/watch?v=dCxtvQ8ZeRM&feature=em-share_video_user

 

Mobilização pela Educação: III - ROMÂNTICOS CONSPIRADORES

on .

Conheça a Rede Colaborativa de Educadores pela Educação Democrática

O RC constitue-se de uma rede colaborativa formada por pessoas que militam pela transformação da Educação Pública*. Nossa finalidade inicial é a de promover a comunicação e o apoio mútuo entre pessoas, organizações e projetos que tenham por objetivo contribuir para a superação dos arcaicos paradigmas educacionais vigentes.

Somos pessoas conscientes de que os modelos educacionais e as práticas educativas possuem decisivas condicionantes sócio-culturais. Este fato exige que, para a transformação da Educação, tenhamos de ultrapassar seu âmbito restrito, englobando as dimensões sociais, políticas e culturais.

Com uma visão educacional baseada no trinômio autonomia-responsabilidade-solidariedade, temos a convicção de que a Educação atualmente praticada não contribui para que as gerações futuras tenham condição de superar os cruciais desafios postos para e pela humanidade. Mais do que isso, essa educação acaba por incentivar a formação de pessoas que tendem a reproduzir o modo de pensar, sentir, agir e viver que produziram tais desafios.