Sementes de paz são plantadas em Guaxupé

on .

O dia mundial da paz é 21 de setembro, mas já começou a ser celebrado no Brasil, no mundo e em nossa cidade, desde o início do mês. O Movimento de Cultura de Paz de Guaxupé – Guaxupaz, que atua desde 2010, incentivou escolas, empresas e entidades para se engajarem na promoção dos ideais pacíficos. Foram sugeridas ações, leituras, filmes e propostas para as pessoas se conscientizarem da cultura da violência a que somos expostos e aderirem aos ideais da convivência pacífica, solidariedade, justiça social, participação democrática, respeito às diferenças e outros princípios da cultura de paz.

Na opinião da coordenadora do Guaxupaz, Sílvia Costa, as pequenas ações realizadas são preciosas sementes que foram plantadas, ou alicerces de uma construção coletiva que irá crescer gradativamente. Assim, podemos considerar a confraternização com Dança Circular, realizada dia 8, na Casa da Cultura, por Mairany Gabriel, os eventos da celebração da Virada Centenária, realizados no CIEG “Elias José” e na Casa da Criança e o “ Abraço sobre o lago”, na ilha do Guaxupé Country Club.

Tambores da Paz anunciam a Virada Centenária

Na tarde de quarta-feira, 19, foi realizado no CIEG “ Elias José”, com a participação de cerca de 150 crianças, adolescentes e professores a celebração da “Virada Centenária”, com a parceria dos 100 Tambores e Guaxupaz.

Os “100 Tambores” criados por Maurício Tizumba e concretizados pelas Secretarias de Educação e de Desenvolvimento Social para homenagear o Centenário de Guaxupé, com o trabalho conjunto com o Guaxupaz, passaram a integrar, também, o movimento mundial dos Tambores da Paz, iniciado no Brasil, no ano 2.000.

Antigamente, os tambores ecoavam para disparar a guerra, o combate de povos em conflito. Hoje, os Tambores da Paz ecoam como ação simbólica, conclamando a comunidade para se mobilizar para enfrentar com coragem e otimismo o desafio de superação dos problemas sociais, das injustiças, do preconceito. Ecoam também para celebrar vitórias, metas alcançadas. São uma estratégia motivadora para formação de crianças e jovens, instrumento de transformação cultural e social.

Os “100 Tambores” ecoaram para celebrar a Virada Centenária de Guaxupé. A passagem dos 100 anos passados para o novo tempo. Os tambores tocaram para proclamar o desejo de um tempo de paz, união de esforços, prosperidade.

Alunos do CIEG registraram em papel o que não queriam mais para a cidade, o que deveria ser enterrado e neutralizado. Roubos, assaltos, brigas, drogas, bebida, falta de moradia, pobreza foram os problemas mais apontados pelas crianças. Em outro momento, registraram os sonhos, expectativas para o novo tempo. O fim de drogas, e do abuso do álcool, ações para combate à violência, fim dos assaltos e roubos, casas para morar, “ que as crianças pobres fiquem ricas” foram os desejos mais apontados .
Os tambores tocaram gerando energias positivas para que as pessoas se animem a lutar por seus sonhos e se unirem na construção deste novo tempo. Os papéis com o registro dos problemas foram enterrados pelas crianças e em outro local foram plantados os sonhos, junto com uma planta verde, cor de esperança. Uma oração ecumênica foi feita pedindo paz, entendimento e união para o bem comum. O fortalecimento da cidadania e maior participação da comunidade na construção desse novo tempo.
A cerimônia simbólica, junto com o repicar dos tambores emocionou todos os presentes.

Crianças vibram com os tambores

Na Casa da Criança a animação começou na quinta-feira, 20, quando Luis Paulo Ferreira, coordenador do Projeto 100 Tambores do CIEG “ Elias José” e o instrutor José de Carvalho chegaram com os instrumentos para ensaiar os alunos.

Na sexta-feira, houve atividade no período da manhã e da tarde, resultantes da parceria entre a Casa da Criança, Projeto 100 Tambores e Guaxupaz.. Cerca de 50 crianças ouviram atentas a explicação sobre a origem dos Tambores da Paz e os efeitos positivos das ondas sonoras que eles produzem.
Compenetrados e entusiasmados, os alunos demonstraram rápida aprendizagem e tocaram os tambores com ritmo, em alto e bom som.
Em seguida, realizaram a celebração da Virada Centenária, plantando seus pedidos junto com uma planta, no pátio, debaixo de uma mangueira.

Na opinião de José Antonio Lofrano, vice-presidente da Casa da Criança, o interesse dos alunos e a percepção dos educadores de quantas habilidades e aspectos formativos podem ser desenvolvidos, comprova a necessidade do Projeto 100 Tambores e a Cultura de Paz serem expandidos na cidade.

Abraço sobre o lago

Já é tradição na cidade de Londrina, o “Abraço ao lago”, na Semana da Paz . O sonho da equipe do Guaxupaz de realizar evento semelhante em nossa cidade, foi realizado em parte, na manhã de quinta-feira, 20, lançando a primeira semente. Como a mobilização em Guaxupé ainda é recente, e não haveria participantes suficientes para dar a volta ao redor do lago, foi feito o “Abraço sobre o lago” , na ilha do Guaxupé Country Club, sob a coordenação da professora Eliana Sales, Adriana Fantini e integrantes do Guaxupaz.

O tempo chuvoso dificultou a participação de mais pessoas, mas, segundo Eliana, deu um toque especial à cerimônia. Os participantes puderam sentir a harmonização com a natureza , que é uma das fontes de paz. As músicas eletrônicas foram substituídas pelo canto dos pássaros, som das folhas das árvores, do vento .
Foram feitos exercícios respiratórios com absorção de energias da natureza, alongamentos, dança circular culminando com o abraço coletivo e integração dos participantes com um café da manhã.

Este evento foi o primeiro realizado pela parceria do Guaxupaz e Guaxupé Country Club .Outros já estão sendo programados para incentivar os associados a aproveitarem mais a natureza privilegiada do local.

Contato com 100 Tambores:3559 1037; Guaxupaz: 3551 1420