Vídeo desperta reflexões sobre redes sociais

on .

Com o aparecimento e expansão das redes sociais os relacionamentos humanos passaram por novos e diferentes processos, que estão em constante mutação. Se por um lado facilitam enormemente o contado entre as pessoas e organizações dos mais distantes locais por outro lado surgem efeitos colaterais cuja complexidade já despertam preocupação. Pelo vídeo linkado abaixo pode-se obter algumas considerações sobre o tema.

 

O Livro Tibetano do Viver e do Morrer ganha versão pocket

on .

É possível manter o equilíbrio e a paz quando enfrentamos situações relacionadas à morte ?

O Livro Tibetano do Viver e do Morrer, além de ser uma obra notável e abrangente, aproxima a sabedoria milenar do Tibete à moderna pesquisa sobre a morte, o morrer e a natureza do universo. Com uma competência sem precedentes, o mestre de meditação budista e conferencista internacional Sogyal Rinpoche torna acessível a majestosa visão da vida e da morte que permeia o clássico Livro Tibetano dos Mortos.

Esse clássico da espiritualidade e bestseller internacional acaba de ganhar uma versão pocket. Menor e mais compacta, a nova versão tem 566 páginas e letras bem legíveis, o que torna a leitura mais agradável.

Acesse o site da Palas Athena Editora - www.palasathena/editora.php - conheça essa e outras obras.

 

Lançamento: Educação para a cidadania - Fábulas do Trânsito

on .

 

A Editora HQ de Londrina - PR lançou, em volume único, as 5 Fábulas do Trânsito, de autoria de Angelica Tomelleri e ilustração de Roger Cartoon. Obra para aplicação pedagógica, indicada para a Educação para a Paz/Trânsito. Uma das fábulas aborda "A Paz e Não - Violência no Trânsito.

Mais iformações Hq Editora
WWW.hqeditora.com.br
(43) 3024 - 2548

Lançamento: ‘‘Fissurar o capitalismo’’

on .

O autor John Holloway desafia como criar rupturas no sistema para não continuar a reproduzi-lo

Romper com o mundo como ele é e criar um diferente. Esse é o objetivo de muitos militantes e ativistas. Mas como fazer para construir uma realidade em que não haja Gaza nem Guantánamo nem poucos bilionários e 1 bilhão de pessoas morrendo de fome? O cientista político irlandês, radicado no México, John Holloway traz esse desafio em seu novo livro "Fissurar o capitalismo" (Editora Publisher Brasil). São 33 teses que explicam como criar rupturas no sistema para não continuar a reproduzi-lo. Do idoso que cultiva hortas verticais em sua sacada como forma de revolta contra o concreto e a poluição que o cerca. Do funcionário público que usa seu tempo livre para ajudar doentes com aids. Da professora que dedica sua vida contra a globalização capitalista. São diversos exemplos trazidos pelo autor, de pessoas comuns que recusam a lógica do dinheiro para dar forma a suas vidas. No entanto, após a rejeição, é preciso tentar fazer algo diferente. É aí que surge o problema. “As fissuras são sempre perguntas, não respostas.”

Professor da Universidade Autonôma de Puebla, o trabalho de Holloway tem influência do zapatismo, movimento que há quase 20 anos vem tentando construir esse outro fazer. No México, essas fissuras têm sido criadas, sem que se espere por uma revolução futura. Como trazido em seu primeiro livro traduzido no Brasil, Mudar o mundo sem tomar o poder, Holloway acredita que pensar em revolução hoje é multiplicar essas fissuras. “Uma revolução centrada no Estado é um processo altamente autoantagonista, uma fissura que se expande e se engessa ao mesmo tempo”, diz o autor na obra recém-lançada. por Adriana Delorenzo da revista Fórum

(localizar fonte SHIFT)

Cartilha ensina como agricultor familiar pode comercializar produtos

on .

Como o pequeno agricultor familiar pode vender os produtos cultivados em sua propriedade nos mercados locais e, com isso, aumentar a renda e melhorar a qualidade de vida de sua família?

Por Elton Pacheco
Fonte: Fundação Banco do Brasil
http://www.fbb.org.br/reporter-social/cartilha-ensina-como-agricultor-familiar-pode-comercializar-produtos.htm

Para responder à pergunta, a Fundação Banco do Brasil e a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) lançaram, na quarta-feira (25), a cartilha Estratégia de Acesso a Mercados para a Agricultura Familiar.

Composta por 66 páginas e tiragem de 10 mil exemplares, a publicação orienta também o pequeno agricultor a buscar parcerias necessárias para garantir qualidade e regularidade no fornecimento de alimentos aos mercados populares. A publicação é gratuita e é destinada para agricultores familiares e demais interessados no tema. Ela apresenta, ainda, informações sobre o processo de comercialização e políticas públicas e programas de governo de incentivo aos produtores.

Estratégia de Acesso a Mercados para a Agricultura Familiar está também disponível para download no link Midiateca, no site da Fundação Banco do Brasil (wwww.fbb.org.br). Para fazer o download direto, clique aqui: http://bit.ly/14IkbWr

O lançamento aconteceu no mesmo dia em que a Unicafes, com o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), realizou cerimônia para marcar a adesão ao Ano Internacional da Agricultura Familiar. O evento foi realizado na sede da Contag, em Brasília, como parte do VII Encontro Nacional do Cooperativismo Solidário, promovido pela Unicafes nos dias 25 e 26 de setembro.

O Ano Internacional da Agricultura Familiar tem como objetivo, dar destaque a uma das atividades mais vitais para o desenvolvimento da sociedade: a produção de alimentos e trabalho na terra. De acordo com indicadores do IBGE, a agricultura familiar já é responsável por 70% do fornecimento de cerca de 70% dos produtos da cesta básica dos brasileiros.

FAÇA O DOWNLOAD DA CARTILHA

Mais informações
(61) – 2102 2288