Cartilha de Direitos Humanos

on .

Muito se tem falado em Direitos Humanos, mas, efetivamente, faltam conceitos claros, corretos que possibilitem a aplicação na vida cotidiana.

É preciso que os educadores disponham de uma metodologia adequada para nortear suas atividades docentes.
Essa necessidade poderá ser suprida com o Projeto de Educação em Direitos Humanos na Educação Básica, da Universidade Federal do Maranhão, coordenado pela Profª Drª Cândida Costa.
A Cartilha de Direitos Humanos, desenvolvida por esse projeto, está disponível na internet . Nesta edição, damos destaque a ela, para que possa ser conhecida e utilizada .

Conheça o projeto pela apresentação da coordenação

“ O Projeto de Educação em Direitos Humanos está sendo executado pela UFMA, através do Departamento de Serviço Social e da PROEX.

Seus propósitos são: fortalecer o Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos e capacitar agentes e operadores da educação básica para incorporarem em sua prática novos elementos metodológicos que apóiem a abordagem dos temas ligados aos direitos humanos.

A idéia central é a de que Direitos Humanos são uma forma de ver a vida, gerando uma prática respeitadora dos direitos do outro, construída necessariamente na tolerância, na convivência, nos ambientes da família, da moradia, do trabalho e da vida pública.

Esta cartilha é um instrumento do projeto a ser utilizado nas oficinas de capacitação e posteriormente nos espaços dos sujeitos da educação, como instrumento dirigido às escolas e aos municípios para implementação de políticas de direitos humanos. Não tem a pretensão de esgotar os assuntos, mas de abrir os horizontes da investigação e do estudo.

Um dos componentes da cartilha é a sugestão de conteúdos e dinâmicas acerca das diferentes dimensões dos direitos humanos e dos temas transversais, como ética, saúde, meio ambiente, orientação sexual, pluralidade cultural. A transversalidade consiste na abordagem de temas que não se incluem integralmente em uma única disciplina, mas perpassam todas.

Este material pode ser aplicado junto a diferentes públicos, com as devidas adaptações conforme a percepção do educador sobre a realidade vivida por cada grupo, bem como suas características próprias. Confiamos de que cada educador (a) transformará seu compromisso com os direitos humanos em atitudes e gestos concretos no seu espaço de atuação, disseminando valores e provocando outros olhares e práticas sobre o exercício dos direitos por todas as pessoas. “

 

Para Ler : Ser Educador em Direitos Humanos

e

Conhecer na íntegra o
Projeto de Educação em Direitos Humanos,
da Universidade Federal do Maranhão


acessar

www.dhnet.org.br/dados/cartilhas/a_pdf/cartilha_ma_direitos_humanos.pdf