Comunicadores refletem sobre o papel transformador da mídia

on .

 

A rede Imagens e Vozes da Esperança de Minas Gerais (IVE Minas) realizou no dia 1º de setembro, o diálogo “Narrativas Restauradoras – uma nova perspectiva para a Comunicação”, com a jornalista Débora Junqueira, coordenadora de comunicação do Sindicato dos Professores (Sinpro Minas) e ativista do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé. O encontro foi realizado na Casa do Jornalista, em Belo Horizonte, e reuniu jornalistas, publicitários e estudantes de comunicação.

O objetivo do encontro foi apresentar e descrever as principais características deste novo gênero de jornalismo que se concentra em contar histórias de recuperação, restauração e resiliência em tempos difíceis. Esse é um tema em estudo nos Estados Unidos, apoiado pelo Images and Voices of Hope (IVOH), uma rede internacional de comunicadores e artistas. Em junho, a jornalista Débora Junqueira participou do encontro da Cúpula do IVOH, em Nova Iorque, onde divulgou as experiências positivas com as mídias do Sindicato dos Professores como a revista Elas por Elas e o programa de TV Extra-Classe.

Para a jornalista Maria Cecília Alvim, coordenadora do IVE Minas, a proposta do estudo contribui para uma formação mais educativa para a mídia, que nos faz repensar a nossa profissão, o impacto que causamos na sociedade e em nós mesmos quando contamos uma notícia. “Há muito mais histórias e imagens para mostrar. Não é só reportar o que acontece no mundo. O nosso papel é também promover mudanças, diálogos que possam inspirar as pessoas se transformarem positivamente, influenciando a transformação de outras pessoas”, afirmou.

Um dos princípios da rede é resgatar a verdadeira força da mídia como agente de transformação social e valorizar iniciativas onde os produtores de mídia têm um papel de agentes de benefício da humanidade. “A mídia deveria estar a serviço das causas comunitárias e não voltada para interesses pessoais ou de grupos econômicos e manipulação política. Há uma necessidade de crítica da mídia que chama a atenção para o que está errado e o que precisa ser melhorado, mas também há grande valor em mostrar conteúdos que atuam como uma força para a transformação da sociedade”, avaliou Débora Junqueira.

A jornalista compartilhou alguns aspectos do tema em estudo, explicando que uma narrativa restauradora é uma história que mostra como as pessoas e as comunidades estão aprendendo a reconstruir e recuperar depois de experimentar momentos difíceis como uma tragédia ou situação de pobreza, etc. “Estes tipos de narrativas, em vez de focar só no que está deteriorado, concentram-se no que está sendo reconstruído, levando às pessoas ou comunidade a uma ação positiva. Essas histórias podem ser contadas através do jornalismo, publicidade, documentário, fotografia e até em games”, explicou.

O grupo que participou do encontro foi convidado a fazer um diálogo apreciativo e expressar suas experiências com a mídia. “Esse compartilhar é importante como uma forma de ampliar nossas vivências e conhecimentos para a construção de uma mídia mais humana e empoderadora”, opinou a jornalista Adriana Borges.

https://ivebrasil.wordpress.com/2015/09/11/comunicadores-refletem-sobre-o-papel-transformador-da-midia

MÍDIA CONSTRUTIVA

on .

Muitos comunicadores em diversos países têm questionado sobre a verdadeira função da mídia. Eles acreditam que a mídia não seja a simples transmissão de fatos ao público, mas pode ter uma função transformadora e ser agente de benefício ao mundo. Eles constituem a mídia emergente que reúne várias denominações: mídia construtiva, mídia consciente, mídia de soluções, mídia apreciativa.

Reunimos nesse segmento matérias sobre o tema e estamos abertos à colaborações

 

ENCONTRO INTERNACIONAL DO IVE FOCALIZARÁ NARRATIVA RESTAURATIVA

on .

A Rede Internacional Imagens e Vozes de Esperança – IVE realizará de 25 a 26 de junho, em Nova Iorque, mais uma cúpula de mídia anual.

O foco deste ano será a Narrativa Restaurativa – um gênero de história que mostra como as pessoas e comunidades estão aprendendo a reconstruir e recuperar em tempos difíceis.

Segundo Judy Rodgers, fundadora do IVE, a narrativa restaurativa está recebendo muita visibilidade da Columbia Journalism Review, Chronicle of Philanthropy e muitos canais de mídia. Acrescentou que há muito a aprender sobre a maneira de contar histórias difíceis de modo que as pessoas possam ser resilientes.

Porque narrativas restaurativas - Gayatri Naraine, presente no Diálogo Internacional do IVE, realizado em Belo Horizonte, em 2014, destacou como são noticiadas as catástrofes que ocorrem. Enquanto a mídia mostra imagens repetidamente do fato e suas repercussões, grupos de pessoas se mobilizam em torno da superação e de como lidar com ela. “A mídia nos informa sobre as tragédias, os números em torno delas, mas em pouco tempo se desloca para outras histórias. E negligencia quanto ao que é realizado em prol da superação daquela tragédia”, aponta. Segundo Gayatri, a mídia se esquece de nos contar o que é possível fazer a partir daquela história e perde a chance de oferecer o estímulo para a superação do trauma gerado em torno daquele acontecimento.
Gayatri lembrou ainda que jornalistas e comunicadores, que são treinados dentro da ética, já começam a se preocupar com o resultado de seu trabalho. O IVE se propõe a ajudar na construção de mensagens restauradoras, funcionando como um reestruturador de esperança.

Se você ainda não conhece a proposta do IVE acesse
www.ivebrasil.wordpress.com

 

Mesmo que você não possa participar do evento, leia abaixo o folder “ Explorando Resiliência através da Mídia”, para saber o que os profissionais de comunicação, espalhados pelo mundo, estão fazendo pela melhoria da mídia.


IVE apresenta:
Explorando Resiliência através da Mídia
Cúpula e Retiro “Narrativa Restaurativa”

Gostaríamos de convidar você para se inscrever na cúpula de mídia anual em
Catskill Mountains, New York. Este ano a cúpula irá focar na Narrativa Restaurativa – um termo que nós cunhamos para descrever um gênero de histórias que mostram como as pessoas e comunidades estão aprendendo a reconstruir e recuperar na sequencia ou em meio de tempos difíceis.

Vamos explorar exemplos de Narrativa Restaurativa e ouvir dos palestrantes que compartilharão sobre a importância e impacto desse gênero de narração.

Quando é a Cúpula?

O encontro será realizado a partir da manhã de quinta-feira, 25 de junho, até a manhã de domingo, 28 de junho. Vamos começar quinta-feira com um retiro de um dia inteiro destinado a dar aos participantes uma oportunidade para descomprimir, engajar no diálogo pensativo, e refletir sobre o trabalho que fazem. Vamos ouvir dos oradores de Sexta de manhã a sábado à noite e vamos encerrar a cúpula no sábado à noite com a nossa cerimônia anual de premiação. Domingo de manhã será reservado para o café da manhã e partidas.

Onde será realizada?

A Cúpula acontecerá no Peace Village Learning and Retreat Center em Haines Falls, Nova York. Peace Village pede por doações voluntárias de 100 dólares por dia para despesas de alimentação e hospedagem.

Como posso me inscrever?

Você pode se inscrever clicando aqui. A inscrição é gratuita, mas doações voluntárias são bem-vindas.

Por que eu deveria ir?

A Cúpula do IVE é diferente de qualquer outra conferência ou evento de mídia. A cada ano, a cúpula atrai profissionais de mídia a partir de uma variedade de áreas da mídia - jornalismo, fotografia, documentário, jogos, publicidade e artes. A Cúpula, que incorpora a reflexão e o diálogo, oferece aos participantes a chance de conhecer pessoas de todo o mundo que compartilham uma paixão por contar histórias e se preocupam com o impacto que a mídia tem sobre as pessoas e as comunidades. Alguns chamam isso de "inspiração", "pensamento instigante", e mesmo "mudança de vida." Você pode ler mais depoimentos aqui here..

Quem estará falando?

No momento estamos alinhando os oradores e atualizaremos esta página assim que tivermos mais informações. Seis de nossos palestrantes estão envolvidos em nosso Programa de Colegas de Narrativa Restaurativa.

Eles encontraram e difundem a paz através da arte

on .

O tempo do Natal está se aproximando. E nesta época, todo ano, volto a ter contato com o trabalho dos artistas especiais que pintam com a boca e os pés. São cartões de Natal, de datas comemorativas, calendários, cartõezinhos para presentes .

Estes pequenos e valiosos produtos expressam a mesma qualidade artística dos quadros por eles pintados e com preços acessíveis para serem adquiridos e divulgados.
Um trabalho indescritível que me toca profundamente e me dá uma demonstração da grandeza do ser humano e de sua capacidade de vencer obstáculos.

A cada ano, sinto a mesma vontade de fazer algo para que mais e mais pessoas tenham oportunidade de conhecer este trabalho e os artistas especiais que o desenvolvem.

Agora, realizo este antigo desejo, através deste site, apresentando uma amostra das obras e um pouco da vida dos artistas e da associação que estrutura o desenvolvimento do trabalho.


Ao enviarmos um cartão feito por estes pintores, estamos enviando também a certeza de que a paz interior pode ser construída mesmo nas situações mais adversas. Uma lição de vida , de resiliência, de esperança para quem os receber.

 

Sílvia Costa

 

Associação dos Pintores com a Boca e os Pés

on .

A Pintores com a Boca e os Pés não é uma associação beneficente, mas sim uma sociedade de membros especiais importantes. Todos os seus integrantes aprenderam a pintar sustentando o pincel com a boca ou com os dedos dos pés, por não possuírem o uso das mãos.

A constituição da sociedade, no ano de 1956, deu oportunidade a todos os seus membros de se manterem com a venda de pinturas em forma de cartões, calendários e outros artigos. A principal preocupação da associação é incentivar pessoas com essas deficiências, proporcionando-lhes uma bolsa de estudos até o seu aperfeiçoamento na pintura.
Os produtos são oferecidos por seu mérito artístico e pela exclusiva relação entre preço e qualidade. As pessoas que reconhecem o valor das obras e as adquirem estão colaborando para aumentar a auto-estima e dignidade dos autores, possibilitando que tenham sua própria independência financeira e criatividade de vida.
Os quadros da Pintores com a Boca e os Pés estiveram expostos no Brasil e por todo o mundo. Essas exposições serviram para mostrar ao público os trabalhos originais dos autores, sendo motivo de inspiração para muitas pessoas.

Saiba Mais:

- Como tudo começou – uma história de fortalecimento e esperança

- Conheça os pintores com a boca e os pés

- Galeria de arte – veja as obras

- Como fazer contato e adquirir produtos

Acesse: www.apbp.com.br