ENCONTRO INTERNACIONAL DO IVE FOCALIZARÁ NARRATIVA RESTAURATIVA

on .

A Rede Internacional Imagens e Vozes de Esperança – IVE realizará de 25 a 26 de junho, em Nova Iorque, mais uma cúpula de mídia anual.

O foco deste ano será a Narrativa Restaurativa – um gênero de história que mostra como as pessoas e comunidades estão aprendendo a reconstruir e recuperar em tempos difíceis.

Segundo Judy Rodgers, fundadora do IVE, a narrativa restaurativa está recebendo muita visibilidade da Columbia Journalism Review, Chronicle of Philanthropy e muitos canais de mídia. Acrescentou que há muito a aprender sobre a maneira de contar histórias difíceis de modo que as pessoas possam ser resilientes.

Porque narrativas restaurativas - Gayatri Naraine, presente no Diálogo Internacional do IVE, realizado em Belo Horizonte, em 2014, destacou como são noticiadas as catástrofes que ocorrem. Enquanto a mídia mostra imagens repetidamente do fato e suas repercussões, grupos de pessoas se mobilizam em torno da superação e de como lidar com ela. “A mídia nos informa sobre as tragédias, os números em torno delas, mas em pouco tempo se desloca para outras histórias. E negligencia quanto ao que é realizado em prol da superação daquela tragédia”, aponta. Segundo Gayatri, a mídia se esquece de nos contar o que é possível fazer a partir daquela história e perde a chance de oferecer o estímulo para a superação do trauma gerado em torno daquele acontecimento.
Gayatri lembrou ainda que jornalistas e comunicadores, que são treinados dentro da ética, já começam a se preocupar com o resultado de seu trabalho. O IVE se propõe a ajudar na construção de mensagens restauradoras, funcionando como um reestruturador de esperança.

Se você ainda não conhece a proposta do IVE acesse
www.ivebrasil.wordpress.com

 

Mesmo que você não possa participar do evento, leia abaixo o folder “ Explorando Resiliência através da Mídia”, para saber o que os profissionais de comunicação, espalhados pelo mundo, estão fazendo pela melhoria da mídia.


IVE apresenta:
Explorando Resiliência através da Mídia
Cúpula e Retiro “Narrativa Restaurativa”

Gostaríamos de convidar você para se inscrever na cúpula de mídia anual em
Catskill Mountains, New York. Este ano a cúpula irá focar na Narrativa Restaurativa – um termo que nós cunhamos para descrever um gênero de histórias que mostram como as pessoas e comunidades estão aprendendo a reconstruir e recuperar na sequencia ou em meio de tempos difíceis.

Vamos explorar exemplos de Narrativa Restaurativa e ouvir dos palestrantes que compartilharão sobre a importância e impacto desse gênero de narração.

Quando é a Cúpula?

O encontro será realizado a partir da manhã de quinta-feira, 25 de junho, até a manhã de domingo, 28 de junho. Vamos começar quinta-feira com um retiro de um dia inteiro destinado a dar aos participantes uma oportunidade para descomprimir, engajar no diálogo pensativo, e refletir sobre o trabalho que fazem. Vamos ouvir dos oradores de Sexta de manhã a sábado à noite e vamos encerrar a cúpula no sábado à noite com a nossa cerimônia anual de premiação. Domingo de manhã será reservado para o café da manhã e partidas.

Onde será realizada?

A Cúpula acontecerá no Peace Village Learning and Retreat Center em Haines Falls, Nova York. Peace Village pede por doações voluntárias de 100 dólares por dia para despesas de alimentação e hospedagem.

Como posso me inscrever?

Você pode se inscrever clicando aqui. A inscrição é gratuita, mas doações voluntárias são bem-vindas.

Por que eu deveria ir?

A Cúpula do IVE é diferente de qualquer outra conferência ou evento de mídia. A cada ano, a cúpula atrai profissionais de mídia a partir de uma variedade de áreas da mídia - jornalismo, fotografia, documentário, jogos, publicidade e artes. A Cúpula, que incorpora a reflexão e o diálogo, oferece aos participantes a chance de conhecer pessoas de todo o mundo que compartilham uma paixão por contar histórias e se preocupam com o impacto que a mídia tem sobre as pessoas e as comunidades. Alguns chamam isso de "inspiração", "pensamento instigante", e mesmo "mudança de vida." Você pode ler mais depoimentos aqui here..

Quem estará falando?

No momento estamos alinhando os oradores e atualizaremos esta página assim que tivermos mais informações. Seis de nossos palestrantes estão envolvidos em nosso Programa de Colegas de Narrativa Restaurativa.

 Palestrantes confirmados até agora:

Jacqui Banaszynski é uma jornalista veterana que ensina contadores de histórias ao redor do mundo. Ela é professora da Escola de Jornalismo de Missouri, uma faculdade parceira no Instituto Poynter, e coach para os colegas da Narrativa Restaurativa do IVE. Sua história sobre dois homens que morrem de AIDS ganhou o Prêmio Pulitzer de 1988 no quesito redação. Em 1988 ela ganhou o prêmio Editors Associated Press Sports pela comunicação das Olimpíadas de Seul. Em 1986, foi finalista do Pulitzer em reportagem internacional. Seus projetos editados ganharam prêmios para negócios, investigação, meio ambiente, esporte e reportagem de interesse humano, e seus alunos são frequentemente vencedores na competição Hearst, considerado o Prêmio Pulitzer da faculdade de jornalismo.

Alex Tizon é o autor de “Big Little Man: In Search Of My Asian Self,” que foi premiado com o Lukas Book Prize. Ele é ex-chefe do escritório de Seattle para o Los Angeles Times, ex-escritor de longa data para o Seattle Times, onde mora, e co-receptor de um Prêmio Pulitzer em jornalismo investigativo. Alex tem relatado a partir de uma laje de flutuação de gelo no Oceano Ártico, um campo de lava no sopé do Monte Pinatubo, e um antigo templo budista na ilha de Java. Sua reportagem cobriu aspectos das notícias mais catastróficas nos últimos tempos, incluindo os ataques de 9/11, a guerra no Iraque e o Furacão Katrina. Alex estudou na Universidade de Oregon e Stanford e atualmente leciona na UO. Mais informações podem ser encontradas em alextizon.com.

Ben Montgomery é um repórter de negócios do Tampa Bay Times, fundador do site de jornalismo narrativo Gangrey.com e autor do livro best-seller do New York Times “Grandma Gatewood’s Walk: The Inspiring Story of the Woman Who Saved the Appalachian Trail.” Cresceu em Oklahoma e estudou jornalismo na Arkansas Tech University, onde jogou na defesa para o time de futebol the Wonder Boys. Ele trabalhou para a Courier em Russellville, Ark., o Standard-Times, em San Angelo, Texas; o Times Herald-Record no Rio Hudson Valley de Nova York, e o Tampa Tribune antes de se juntar ao Times em 2006. Em 2010, foi finalista do Prêmio Pulitzer para reportagens locais e ganhou o Dart Award e Casey Medal para uma série chamada “For Their Own Good,” sobre o abuso na mais antiga escola reformatório da Flórida. Vive em Tampa com sua esposa, Jennifer, e três filhos.


Ellie Walton cresceu em Washington, DC, e dedicou o trabalho de sua vida para compartilhar histórias que inspiram conexão através das linhas divisórias sociais e culturais. Ela leva tempo para construir relacionamentos e confiança com as comunidades com quem ela está ativamente engajada no processo de contar histórias. Documentários de longa-metragem de Ellie, "Chocolate City" (2007), "Igual que Tu" (2009), e "Walk With Me" (2012), foram apresentados em festivais de cinema em todo o mundo e continuam a ser utilizados como ferramentas educacionais em universidades, escolas e conferências.


As colunas de Rochelle Riley têm aparecido no Detroit Free Press e na freep.com desde 2000. Ela também bloga no rochelleriley.com e faz aparições frequentes na televisão e no rádio, especialmente na NPR e MSNBC. Rochelle escreve apaixonadamente sobre governo responsável, responsabilidade na comunidade, educação pública, cultura pop, raça, filme, e crise de leitura do Michigan. Já trabalhou no The Dallas Morning News, The Washington Post e The Courier-Journal, em Louisville, KY. Suas colunas sobre o escândalo de corrupção Kwame Kilpatrick foram parte da entrada que ganhou o Prêmio Pulitzer de 2009 para Reportagem Local. Rochelle ganhou o 2013 Prêmio Nacional Headliner para melhor coluna escrita, o prêmio inaugural Will Rogers Humanitarian Award para o serviço comunitário da Sociedade Nacional de Colunistas de Jornais (2011) e as honras Associação Nacional de Jornalistas Negros (2014) pelo primeiro lugar coluna escrita. A Associação de Imprensa de Michigan nomeou seu nome quatro vezes como a melhor colunista local. Leitores da revista Hour a elegeram como a melhor colunista feminina de Detroit pelo quinto ano consecutivo (2014).

Elissa Yancey, MSEd, é professora associada no departamento de jornalismo da Universidade de Cincinnati - UC, colaboradora no WCPO-TV Digital e consultora de comunicações do gabinete do reitor da UC. Com mais de 20 anos de reportagens e experiência docente, ela recebeu o prêmio Just Community Award da UC em 2011 pelo ensino de diversas culturas em uma ampla gama de cursos do Serviço de Aprendizagem para estudantes de jornalismo. Em 2013, ela recebeu o premio Sarah Grant Barber Outstanding Award por seu trabalho de aconselhamento com os alunos.

 

 

Hawah Kasat, fundador e diretor-executivo da organização sem fins lucrativos One Common Unity , atuou como resentante da juventude para a Conferência Mundial das Nações Unidas contra o Racismo e é diretor de Peaceable Schools da Wilson High School, em Washington, DC. Hawah foi entrevistado no XM Satellite Radio Nacional, BBC, CNN, Pacifica Radio Network, NPR, e Al-Jazeera. Ele é autor de quatro livros, produziu três documentários e dois álbuns de música, e é o criador/editor da antologia literária "Poetry of Yoga", que apresenta os músicos e mestres professores vencedores do Grammy Award. Como artista, escritor, educador, instrutor da ioga, e organizador da comunidade, ele tem dedicado sua vida a ensinar sobre soluções para a violência e caminhos para a paz, e já viajou para mais de 28 países nos últimos 10 anos para facilitar oficinas e diálogos interativos, recitar poesia, ensinar yoga, e falar aos interessados na criação de um mundo de carinho, sustentável e equitativo. Ele tem licenciatura em paz e filosofia educacional pela American University e reside em Washington, DC


Jake Harper é um jornalista de saúde da WFYI em Indianápolis. Depois de sair da Peace Corps, ele começou com uma bolsa de jornalismo de dados na Fundação Sunlight. Dscobriu seu amor pelo rádio em uma rádio comunitária em Madison, Wisconsin, e logo depois começou um estágio com a NPR’s State of the Re:Union. O trabalho de Jake recebeu um 1º prêmio do Milwaukee Press Club e foi finalista na KCRW’s 24-Hour Radio Race. Em seu tempo livre, Jake faz pizza, anda de bicicleta, e corre seus polegares através de livros aleatórios em sua biblioteca local.

 

Os projetos realizados por Cy Wagoner geralmente começam com, "você não pode fazer isso ..." motivado por ir contra a maioria das possibilidades, Cy passou os últimos sete anos na gestão do Coletivo Arte Black Sheep, que se concentra em trazer a arte pública às comunidades. A obra de Cy é influenciada por histórias de beleza e força que vêm de juventude, e sua crescente relação com o mundo vigoroso e tolerante que os abriga.