Paz como Cultura

on .

A palavra “ Paz” vem do latim pangere = comprometer-se e concluir um pacto, estabelecer um acordo entre duas ou mais partes.
O conceito “ Cultura de Paz” apareceu pela primeira vez em documento internacional, resultante da Conferência Internacional sobre a Paz na Mente dos Homens, realizada em 1989, por iniciativa da Unesco:

“Ajudar na construção de uma nova visão de cultura de paz baseada nos valores
universais de respeito à vida, liberdade, justiça, solidariedade, tolerância,
direitos humanos e igualdade entre mulheres ne homens “ (...)

A expressão “cultura de paz” foi cunhada pelo educador peruano Padre Felipe MacGregor ao presidir a a Comissão Nacional Permanente de Educação para a Paz, criada pelo governo do Peru, em 1986. Três anos depois, Padre Mac Gregor publicou o livro “ Educacion, futuro, cultura de paz”, que inspirou o movimento promovido pela Unesco e adotado pelas Nações Unidas.

Padre Mac Gregor abriu caminhos na América Latina para os trabalhos de pesquisa acadêmica sobre a paz.

Fonte: Lia Diskin. Guia de Cultura de Paz. São Paulo: Rede Ação pela Paz, 2007.


Iniciativas da ONU/Unesco pela Cultura de Paz

Década da Cultura de Paz

A Década Internacional de uma Cultura de Paz e Não Violência para as Crianças do Mundo, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1988, foi impulsionada pela Campanha Internacional pelo Manifesto 2000 . Aderiram à campanha 75 milhões de cidadãos que assinaram um compromisso em prol de uma convivência edificante, sustentabilidade ambiental e justiça social.

Este Manifesto, no Brasil, inspirou a criação de centenas de programas e projetos, nas áreas de educação, saúde, cultura, meio ambiente, justiça, direitos humanos, diálogo inter-religioso , como também no âmbito empresarial.

Acesse - Manifesto 2000 


Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz - ( aprovado pela Assembléia Geral da ONU em 1999)

Estes documentos foram elaborados para que governos, organizações nacionais/ internacionais e sociedade civil possam se nortear para planejar seus programas e providências visando à promoção da cultura de paz no novo milênio.
O programa propõe oito eixos temáticos de referência:

- Cultura de Paz através da Educação
- Economia Sustentável e Desenvolvimento Social
- Compromisso com todos os Direitos Humanos
- Equidade entre os Gêneros
- Participação Democrática
- Compreensão- Tolerância – Solidariedade
- Comunicação Participativa e Livre Fluxo de Informações e
Conhecimento
- Paz e Segurança Internacional


Uma cultura de paz integra :

- valores - atitudes - tradições - comportamentos - modos de vidas
que se baseiam em:

- respeito pela vida e prática da não violência por meio da educação, do diálogo e da cooperação;

-respeito pelos princípios de soberania, integridade territorial e independência política;

- esforços para satisfazer as necessidades de desenvolvimento e as necessidades ambientais de gerações presentes e futuras;

- respeito e promoção de direitos e oportunidades iguais para mulheres e homens; eliminação de todas as formas de discriminação contra mulheres;

- respeito ao direito à liberdade de expressão, opinião e informação, e sua promoção em todos os níveis;

- adesão aos princípios de liberdade, justiça, democracia, tolerância, solidariedade, cooperação, pluralismo, diversidade cultural, diálogo, e entendimento em todos os níveis da sociedade ne entre as nações;

- determinação calma na resolução de conflitos, respeito mútuo, entendimento e cooperação internacional;

- democracia que promova o desenvolvimento e o respeito universal e observância de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais; instituições democráticas que fortaleçam e assegurem a participação no processo de desenvolvimento;

- transparência crescente e responsabilidade em governar;

- formação de pessoas em todos os níveis para desenvolver habilidades de diálogo, negociação e consenso que conduzam à resolução pacífica das diferenças;

- erradicação da pobreza e do analfabetismo reduzindo as desigualdades nas nações e entre elas;

- desenvolvimento econômico e social sustentável;

- garantia de respeito, promoção e proteção dos direitos das crianças;

- eliminação de todas as formas de racismo, xenofobia e intolerância;

- compreensão, tolerância e solidariedade entre todas as civilizações, pessoas e culturas, incluindo diferentes etnias, religiões e minorias li8n guísticas;

-direitos de todas as pessoas, incluindo os que vivem sob formas coloniais ou outras de ocupação estrangeira.

Fontes: 

- Lia Diskin. Guia de Cultura de Paz. São Paulo: Rede Ação pela Paz, 2007.
- Cristina Von. Cultura de Paz. Cap. “Declaração e Programa de
Ação para uma Cultura de Paz”. Ed. Peirópolis)

 

Para conhecer o programa

I - A íntegra deste programa e de todos os documentos internacionais que inspiram e fundamentam grande parte das propostas contidas na Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz estão disponíveis no site www.comitepaz.org.br 

Acesse o Programa de Ação Para uma Cultura de Paz CLIQUE AQUI


Outros avanços relacionados à iniciativas integradas à ONU

- Declaração dos Direitos Humanos
- Carta da Terra
- Declaração sobre a paz na mente dos homens
- Declaração de princípios sobre Tolerância
- Declaração de Durban - Declaração Universal sobre Diversidade Cultural
- Relatório Dellors
- Declaração Ubuntu Sobre Educação, Ciência e Tecnologia para o
- Relatórios da ON U sobre progressos na Década Internacional para a Cultura de Paz.

O quadro geral dos documentos internacionais e seus respectivos conteúdos poderão se acessados no link:

http://comitepaz.org.br/index.php/documentos-internacionais/

 

Fonte de pesquisa, estudo e programação de atividades: 

Ela apresenta uma síntese dos pontos básicos do Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz,

com roteiros de ações a serem desenvolvidas pelos governos, nas escolas, no trabalho,

nas comunidades e individualmente. Obra recomendada para preparação de educadores,

gestores e pessoas interessadas. Material de apoio para elaboração de planos de trabalho sobre

Cultura de Paz.